segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

REESTRUTURAÇÃO - NOVAS IDEIAS OFICIAIS DE GESTÃO E EXECUÇÃO.


“Art. 61-A – A promoção do policial militar do Distrito Federal no Quadro de Oficial, independente de vaga, obedecerá a permanência máxima de 24 (vinte e quatro) meses entre cada Posto, a contar da data de promoção ao Posto de Segundo-Tenente, observando a necessidade do Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais, para acesso aos postos de Major e Tenente-Coronel e do Curso de Altos Estudos para Oficiais, para acesso ao posto de Coronel.”
esse foi para Oficiais (oficiais de gestão), agora veja esse para as praças (oficiais de execução):

“Art. 61-B – A promoção do policial militar do Distrito Federal no Quadro de Praça, independente de vaga, obedecerá a permanência máxima de 24 (vinte e quatro) meses entre cada Graduação, a contar da data de promoção à Graduação de Soldado de 1ª Classe, observando a necessidade do Curso de Aperfeiçoamento de Praças, para acesso às graduações de Segundo-Sargento e Primeiro-Sargento e do Curso de Altos Estudos para Praças, para acesso à graduação de Subtenente.


Parágrafo único – Será sem prejuízo da remuneração atual a Praça que for promovida aos Postos de Oficial resultantes do Curso de Habilitação de Oficiais Administrativos, Especialistas e Músicos (CHOAEM).”


Tanto os Oficiais (oficiais de gestão) quanto as Praças (oficiais de execução) saem ganhando com essas sugestões todo mundo vai ficar feliz.
A promoção é um direito do policial militar e deve se dá independente de vaga, pois, ao se estipular um número determinado de vaga, ocasiona irreparável estorvo no sistema de promoções da Polícia Militar do Distrito Federal. Não promover o policial militar do Distrito Federal por falta de vaga é uma medida potencialmente lesiva à ordem pública, em sua seara administrativa.

veja o que existe no estatuto:
"§ 1º - Posto é o grau hierárquico do Oficial, conferido por ato do Governador do Distrito Federal e confirmado em carta patente."



Veja a sugestão de inclusão no estatuto:
"§ 2º - Graduação é o grau hierárquico da Praça, conferido por ato do Governador do Distrito Federal e confirmado em carta patente."
não seremos mais promovidos por ato do Cmt-Geral seremos como os oficiais, promovidos pelo Governador, com carta patente vamos mudar e melhorar para as Praças (oficiais de execução) e para os Oficiais (oficiais de gestão). O mais importante é pensar na coletividade e não individualmente.
A mudança no quadro das Praças só afeta o EGO dos oficiais, mas não prejudicará em nada o lado deles.
O orgulho soberbo decorre de uma altivez desumana, arbitrária e despótica. O orgulhoso soberbo não é um (verdadeiro) sucesso porque imagina que tudo pode, que está acima de qualquer suspeita, que o mundo deve se curvar aos seus pés. A ambição desmedida, na memorável imagem de Dante, o genial autor do livro “A divina comédia”, vem coligada com a “fome raivosa do leão”. Conduz ao insucesso porque não respeita os direitos dos outros, não se preocupa com o valor justiça nem com o bem-estar alheio. A avareza sórdida do ser humano foi retratada por Dante naquela imagem da loba, “carregada de desejos”. O avarento também é um insucesso na medida em que só sabe aumentar suas riquezas sem lhes dar a devida utilidade. Nenhum empreendedor de sucesso que queira sustentabilidade incorre nesses deploráveis vícios humanos. Avante! FONTE: E-MAIL DE UM LEITOR

POSTADO POR: SGT JOSENY CANDIDO - CRCS/PMDF
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial