quarta-feira, 8 de maio de 2013

SIM: Agnelo Queiroz novamente investigado.



 

O Ministério Público do DF e Territórios decidiu acatar a sugestão da deputada distrital Liliane Roriz (PSD) e encaminhar ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, representação contra o governador do DF, Agnelo Queiroz (PT) por suposta responsabilidade pelas mortes de nove recém-nascidos na UTI Neonatal do Hospital Regional de Ceilândia, cidade localizada a 30 km de Brasília. Vítimas da bactéria Serratia marcenses, os bebês não resistiram e faleceram no início mês de abril. O documento é assinado pela vice-procuradora-geral de Justiça do DF, Zenaide Souto Martins. ...

A representação foi protocolada pela parlamentar no MPDFT com objetivo de pedir a investigação e a responsabilização dos óbitos ocorridos dentro de uma unidade pública de saúde no DF. No documento, a deputada destaca que a Secretaria de Saúde do DF e a diretoria do Hospital Regional de Ceilândia (HRC) teriam se negado a prestar maiores esclarecimentos acerca das notícias dos seguidos óbitos de recém-nascidos. “Apenas duas mortes foram assumidas como sendo resultado da contaminação”, reforça a distrital.

Ainda na representação, Liliane Roriz anexou documento assinado por médicos e servidores da unidade hospitalar que denuncia a falta de condições de trabalho e o risco de contaminação hospitalar. Para a deputada, a responsabilidade do governador do DF e do secretário de Saúde, Rafael Barbosa, está materializada na ausência de planejamento e gerenciamento da saúde pública do Distrito Federal, “bem como na inexistência de providências para resolver os problemas naquela unidade de saúde”.

O documento sustenta que “diante do exposto, com base nas considerações, o caso noticiado impõe o encaminhamento dos autos ao Procurador-Gerd da República, para análise e providencias que entender cabíveis, sem prejuízo do envio de cópia integral dessa representação  para distribuição a uma das Promotorias de justiça de Defesa da Saúde - PROSUS, para averiguação das condutas das pessoas citadas na representação, bem como para adoção de providências quanto a eventual responsabilização cível deles”.

Como um dos investigados é o governador Agnelo Queiroz, o qual possui prerrogativa de foro no Superior Tribunal de Justiça, e a atribuição de oficiar perante o STJ é da Procuradoria Geral de Justiça, o Ministério Público do DF decidiu encaminhar a representação na íntegra para o procurador-geral da República, Roberto Gurgel. O documento foi encaminhado no último dia 3.

Leia aqui a resposta do Ministério Público


joseny cândido 0852013

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial