sábado, 4 de maio de 2013

SIM: A Capa que era apenas uma capa

 O grande presente pelo o dia dos trabalhadores

                                       
                                                                 O GRANDE "MUNRÁ
                             A  "CAPA" CAIU! 
                                 
                                                                
O governador Agnelo Queiroz (PT) decidiu na tarde desta quarta-feira (1º/5) trocar o comando da corporação por causa da crise na compra de capas de chuva para a polícia.

O coronel Suamy Santana não é mais o comandante da Polícia Militar do Distrito Federal. O novo comandante será o atual secretário-adjunto de Segurança Pública, coronel Jooziel de Melo Freire, indicado pelo secretário Sandro Avelar. O governador Agnelo Queiroz (PT) decidiu na tarde desta quarta-feira (1º/5) trocar o comando da corporação por causa da crise na compra de capas de chuva para a PMDF.

De acordo com nota oficial encaminhada pela Secretaria de Comunicação do DF, o governador tomou a atitude "por considerar um ato desmedido a inclusão da compra de 17 mil capas de chuva na licitação de aquisição de equipamentos policiais para as copas das Confederações e do Mundo".
O caso das capas de chuva ganhou repercussão ontem, quando veio à tona a informação sobre a compra dos equipamentos, no total de R$ 5,3 milhões, sob justificativa de que o pedido tinha sido feito para um período de plena seca no Centro-Oeste. Na manhã de hoje, por meio de nota, o governador já tinha mandado suspender a compra e criticou a decisão do comando.

Na edição impressa de hoje do Correio, o coronel Suamy Santana, agora ex-comandante da PMDF, chegou a justificar que as poucas capas existentes estão deterioradas e que ninguém é oráculo para prever se vai chover ou não durante o período da realização dos eventos. Além disso, o oficial acrescentou que as capas não serão usadas somente durante os torneios e que ficarão como "legado" para a corporação.

Por que a mente de um ditador é semelhante a de um psicopata?



Há duas patologias que se destacam pela prática da mentira, segundo os especialistas. Uma é a personalidade psicopática e a outra é a chamada “Síndrome de Münchhausen” ou “Pseudologia Fantástica”.

O ditador e o psicopata são capazes de mentir olhando nos olhos e com atitude completamente neutra e relaxada; ele não sente remorsos, não se arrepende e reincide sempre.


Eles imaginam que o seu padrão de comportamento é normal pensar só em si, fazem de tudo para chamar a atenção ou desrespeitar toda norma social. Embora  não ache nenhum problema em seu jeitão de ser,  perde a percepção do que é racional, ou seja, eles não conseguem perceber que os seus atos podem prejudicar muito as pessoas à sua volta.
Normalmente, os ditadores, fomentam regimes totalitaristas, quando no governo, passam a exercer um controle dos meios de comunicação em massa, fortalecido pelo uso das forças militares secretas, que passam a controlar, restringir ou eliminarem totalmente, a liberdade social e pessoal.

 O portador da “Síndrome de Münchhausen” caracteriza-se por uma compulsão a fantasiar uma vida fictícia para impressionar outras pessoas. Em ambos os casos o indivíduo busca obsessivamente o poder e a admiração dos outros, seja  pelo o bem ou pelo o mal: quer se mostrar sempre mais inteligente, mais bonito, mais capaz, etc.

Definir a mentira apenas como o contrário da verdade é ir de encontro ao seu verdadeiro significado. O ato de mentir está relacionado à intenção de enganar, ludibriar, e não de apenas deturpar a verdade.

É a intencionalidade que define a mentira o mentiroso patológico ou não, sabe conscientemente que está dirigindo a alguém um enunciado falso e, mesmo assim, o faz, dando a entender que diz a verdade. Não tem a consciência que sua derrota será iminente e desastrosa.

Perante a sociedade brasiliense será lembrado como o personagem mais vergonhoso  em toda existência histórica da PMDF. Existência trágica!


1- ERRO - ALTO CONFIANÇA

O gigante Golias sempre se sentia imponente e seguro em sua altura de 2,90 m, e pensava lá do alto de seu tamanho que ninguém poderia tocá-lo ou mesmo derrubá-lo, pois sua confiança na altura sempre lhe havia mostrado que mesmo no meio de seu povo e nas batalhas que havia travado com outros inimigos ele sempre havia vencido.

2- ERRO - ACHAVA QUE SUA BLINDÁGEM E PROTEÇÃO ERA INTRANSPONÍVEL

 Golias trazia um capacete de bronze sobre a sua cabeça, e o capacete era também uma identidade , por ele se poderia identificar de qual exército ele pertencia.  Seu capacete era um símbolo de pder e adoração ao seu deus. Este era Dagom, uma divindade maligna, cuja adoração era realizada com orgias e bebedeiras e também por ser um homem sem princípios.

3- ERRO - CONFIANÇA DEMASIADA POR ACHAR QUE TINHA GRANDES HABILIDADES

Golias era um campeão filisteu, pois fora treinado nas artes de guerra. Desde criança ele provavelmente foi preparado para ser um guerreiro filisteu, e quanto mais crescia, mas se destacava nas batalhas e mais vencia. Assim com inúmeras vitórias ele passou a confiar na sua habilidade e arrogancia em acreditar que ninguém poderia o vencer em modalidades de guerra.Ele não atentou que sempre teremos batalhas e que muitas delas não faz de nós imbatíveis.

4- ERRO -ORGULHO

O contexto nos mostra que ele trazia em seu peito uma couraça ou cota de medalhas de bronze, que pesava cerca de 57 Kg, que para ele era um monumento às grandes vitórias que havia vencido. Golias olhava para o peito e pensava: “Eu sou o maior; eu sou o melhor, eu sou eu”. “Golias, Golias, Golias!!!
 O orgulho é igual a soberba e está escrito no livro da vida: “A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda.” Provérbios 16:18
Isso foi fatal na vida do gigante Golias e com certeza ainda é perigoso.

5- ERRO - AUTO SUFICIENTE NA CAPACIDADE

Golias tinha uma lança cuja ponta pesava seis quilos, e isso era uma dádiva para um guerreiro, pois as armas da época era a espada e a lança. Com a lança ele transpassava e o deixava sofre e agonizar antes de ser cortado com a espada, assim a lança era símbolo de sofrimento para seus inimigos. Ter uma lança como aquela fazia com que Golias se sentisse o único capaz de matar e humilhar o oponente.

Você pode ser bom em alguma coisa, mas nunca deixa que a capacidade de fazer algo lhe seja por tropeço. Devemos buscar aprender. Eu aprendi que existem três tipos de homem: um é o tolo, que nunca prende nada; outro é o inteligente, que aprende com seus esforços; e o terceiro é o sábio, que aprende com os outros. Assim é necessário que busquemos ser sábios.

6- ERRO - A ARROGÂNCIA

Golias saía e afrontava o exército de Israel, se mostrando arrogante, com uma empáfia tremenda. Ele era sem dúvida uma pessoa horrível em todos os aspectos. Para ele não havia ninguém igual a ele, somente pessoas pequenas. Ser humilde é reconhecer seus defeitos e fraquezas; é ser uma pessoa que aprende com os outros. Golias nunca foi uma pessoa humilde, mas a sua arrogância o levou a queda que ele nunca havia experimentado, e consequentemente a morte.

CONCLUSÃO: POR QUE OS GIGANTES CAEM.

Os gigantes caem porque se esquecem das pequenas coisas e nao tropeçam em grandes pedras, mas em  pequenas pedras.

joseny cândido 452013




Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial