terça-feira, 7 de maio de 2013

SIM: Rorizistas se unem de olho em 2014.




O evento que marcaria a volta de Joaquim Roriz à vida pública lotou ontem o plenário da Câmara dos Deputados, mas sem a presença do convidado mais aguardado. O ex-governador faltou à sessão solene em homenagem ao Dia do Líder Comunitário, organizado pela deputada federal Jaqueline Roriz (PMN-DF), que seria o palanque de seu primeiro discurso público desde as eleições de 2010. Apesar da ausência, o nome de Roriz foi o mais citado durante os discursos dos políticos ligados ao ex-governador. O grupo aproveitou a mobilização para começar o debate em torno do pleito de 2014. Os participantes da sessão solene deram o recado de que estarão juntos nos palanques no ano que vem, independentemente da presença de Joaquim Roriz na disputa.

O evento estava marcado para as 10h e as filhas deputadas de Roriz, Jaqueline e a distrital Liliane (PSD), chegaram pontualmente à Câmara. Na entrada do Congresso, elas já avisavam aos repórteres e líderes comunitários que foram à sessão acompanhar o discurso do ex-governador: ele desistira de comparecer. Roriz alegou que a Câmara dos Deputados não era o local ideal para seu retorno à política e que a iniciativa poderia ser vista como campanha fora de época — com riscos de trazer novos problemas jurídicos. Mas outro receio levou o ex-governador a ficar em casa, acompanhando a transmissão do evento pela TV Câmara. Joaquim Roriz ficou com receio de virar alvo de protestos de integrantes da oposição, especialmente de filiados ao PT, seus rivais históricos.

Além de Jaqueline e Liliane, participaram da sessão solene o ex-senador Adelmir Santana, o ex-deputado federal Alberto Fraga, os deputados federais do DF Luiz Pitiman (PMDB) e Izalci Lucas (PSDB), e o ex-secretário de Saúde Jofran Frejat, que foi candidato a vice-governador na chapa de Joaquim Roriz em 2010, antes de ele ceder a vaga à mulher, Weslian. A presença do senador Gim Argello (PTB) chegou a ser anunciada no momento da composição da mesa, mas ele não apareceu no plenário durante a sessão solene, que reuniu cerca de 300 líderes comunitários e apoiadores do ex-governador.

Carta

Roriz não apareceu, mas enviou uma carta, que foi lida em plenário por Jofran Frejat. No texto, ele citou a criação de novas cidades no Distrito Federal durante seus quatro governos e afirmou ter sido "perseguido" por conta do trabalho em prol da moradia. "Ao longo de toda a minha vida política, sempre fiz a opção de defender os mais necessitados. Lutei com todas as minhas forças para que cada pessoa pudesse ter seu lar e viver com dignidade", afirmou o ex-governador, que concluiu o texto dando pistas de que pretende voltar às disputas políticas. "Vamos atuar juntos mais uma vez para recolocar Brasília no caminho do trabalho, da dignidade e do respeito ao povo", finalizou Roriz, na carta. Quando Frejat concluiu a leitura do texto enviado pelo ex-governador, o clima era de comoção e os participantes gritavam o nome do ex-governador.

Como é de praxe nos eventos que envolvem Roriz, os cabos eleitorais e seguidores do político falaram dele com devoção. Líder comunitária de Valparaíso (GO), Maria Rodrigues da Silva, 71 anos, foi à Câmara com uma capa azul — cor que marcou as campanhas do ex-governador — e com uma faixa em que se lia o nome de Roriz. Ela conta ter ficado decepcionada com a ausência. "Queria muito ver o Roriz, gosto muito dele. Ele fez muito pelos pobres", afirmou dona Maria.


joseny candido 0752013
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial