quinta-feira, 13 de junho de 2013

Polícia prende quadrilha de estelionatários que agia em 11 estados e no DF

Polícia prende quadrilha de estelionatários que agia em 11 estados e no DF

A polícia estima que o bando tenha obtido cerca de R$ 30 milhões com os golpes



Um golpe interestadual foi descoberto pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), após 13 meses de investigações. Seis pessoas de uma quadrilha foram presas pelos policiais do DF em São Paulo e no Paraná, nesta terça-feira (11/6). Outras quatro estão foragidas. 

De acordo com as apurações da Coordenação de Repressão aos Crimes contra o Consumidor, à Ordem Tributária e a Fraudes (Corf), os criminosos se passavam por juízes ou funcionários de revendedoras de automóveis importados e ofereciam veículos com valores abaixo do valor de mercado. 

Os compradores depositavam o dinheiro nas contas de laranjas do grupo e não recebiam o automóvel. Em três anos, segundo a polícia, eles teriam desviado R$ 30 milhões em todo o Brasil. No DF, são pelo menos 22 vítimas.

Ao longo das investigações, a Corf apurou que os integrantes da quadrilha nunca estiveram em Brasília. Mesmo assim, adquiriam números com prefixo do DF e anunciavam a venda de veículos importados. Quando as pessoas ligavam nos números do grupo, os estelionatários diziam que eram juizes de Brasília e que já haviam vendido o veículo particular, mas que parentes trabalhavam em uma revendedora em São Paulo e que conseguiria os carros importados com valor um pouco abaixo do mercado. “Os criminosos nem conheciam o DF, mas descobriam os nomes dos juizes daqui e também dos funcionários da revendedora de outros estados e passavam confiança às vitimas", explica a delegada Cláudia Alcântara, chefe da Corf.


Nas delegacias do DF existem 22 ocorrências de vítimas que teriam sido lesadas pela quadrilha. Segundo a delegada à frente das apurações, um dos depósitos feitos aqui no DF chegou ao valor de R$ 220 mil. “Era uma quadrilha muito bem organizada com base em São Paulo e no Paraná, mas com atuação em 12 estados e no DF”, garante Cláudia Alcântara. Todo o dinheiro depositado pelas vítimas ia para contas de laranjas da quadrilha, no Paraná. “Pagavam os laranjas e depois encaminhavam o dinheiro para o líder do grupo em São Paulo”, detalha a delegada.

Na última terça-feira, 60 policiais do DF foram a São Paulo e a Curitiba prender os integrantes da quadrilha de estelionatários. A prisões preventivas foram autorizadas pelo juiz da 5ª Vara Criminal do DF. Quatro criminosos conseguiram fugir e são considerados foragidos. Eles viviam em casas luxuosas e usavam carros importados. 

“Tudo resultado de golpes que aplicavam no Brasil inteiro. Eles achavam que nunca seriam descobertos, mas trabalhamos durante um ano e um mês para identificar todos eles e descobrir como eles agiam. Não vamos permitir que pessoas como essas pratiquem golpes contra os moradores do DF”, ressalta Cláudia Alcântara. Vão responder agora por formação de quadrilha e estelionato.
JOSENY 13062013
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial