sábado, 13 de julho de 2013

Izalci diz que aposentadoria é para calar

Renovação visual começa com contêineres

O administrador de Brasília, Messias de Souza (foto), quer dar uma geral na imagem da cidade. A ideia é renovar o visual. Pensa em primeiro lugar, claro, na Copa do Mundo.   Já procurou outros órgãos do GDF para criar um sistema de colocação dos contêineres de lixo, que em sua opinião enfeiam e emporcalham os espaços públicos. Messias de Souza quer encontrar uma fórmula de depositá-los em áreas subterrâneas onde não seriam vistos nem prejudicariam o trânsito ocupando vagas de estacionamento.

Izalci diz que aposentadoria é para calar

O deputado brasiliense Izalci Lucas cobrou ontem investigações do Ministério Público do Distrito Federal sobre a aposentadoria do policial militar João Dias, que chegou a disputar uma cadeira de distrital pelo PCdoB à época em que o atual governador militava no partido. Izalci considera João Dias responsável, inclusive, pela queda do então ministro Orlando Silva, do Esporte.  O deputado lembra que João Dias levou ao Palácio do Buriti um pacote com R$ 200 mil e os jogou em cima da mesa do secretário de Governo — só para depois aparecer em uma lista de promoções “e agora simplesmente se aposenta de uma forma estranha”. Para Izalci, “como se diz, foi um cala-a-boca, para que ele não continuasse denunciando os escândalos que ocorrem aqui no GDF.

Persona gratíssima nos jogos do Fla

Durante o jogo Flamengo e Coritiba no último sábado, em Brasília, um torcedor chamava a atenção no meio da galera rubro-negra: o secretário de Administração do GDF, Wilmar Lacerda, que é botafoguense assumido.  Em tom de gozação, colegas secretários que estavam próximos   diziam, após  a partida terminar em 2 X 2,  que Wilmar será convidado para todos os demais jogos do Flamengo. Até para o do Vasco.

O lado físico do bispo Rodovalho

Físico de formação e pastor evengélico por opção, o ex-deputado Robson Rodovalho costuma defender  a tese de que ciência e fé “são dois idiomas diferentes, mas falando as mesmas verdades”. Por essas e outras, sempre evitou misturar as coisas. Desde que se integrou à igreja Sara Nossa Terra  lançou 72 livros sobre temas ligados à religião e a princípios de liderança, com viés de auto-ajuda. Agora, seu lado científico prevaleceu. Lança nesta segunda-feira, no Pátio Brasil, Ciência e Fé – o Reencontro pela Física Quântica.

Mudança de cidade

Habitualmente focado em Taguatinga, sua base eleitoral, o deputado Benedito Domingos anda agora preocupado com o Jardim Botânico. Apresentou  propostas de 15 obras para o bairro. A começar pela construção de  um viaduto no cruzamento do balão da ESAF, caminho natural dos moradores na direção do Lago Sul e do Plano Piloto.

Piada pronta

Colocada em posto estratégico do calçadão de Copacabana, a estátua do poeta Carlos Drummond de Andrade aparece periodicamente vandalizada.  Como a articulação com o rosto é frágil, seus óculos são arrancados para revenda. O preço do bronze permite remunerar o consumo de droga do predador por um dia inteiro.  Mas, como o Brasil é o país da piada pronta, Drummond não é mais a única vítima. Arrebataram também os óculos da estátua do senador Alexandre Costa, que fica na ala do Congresso que leva seu nome. Ficaram só dois furos laterais, nos pontos em que os óculos se prendiam. 

Maldade com os servidores na LDO

Quem mostra é o deputado brasiliense Augusto Carvalho: o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias hoje empacado na Comissão Mista de Orçamento embute o que chama de “maldade” com os servidores públicos de todo o País. O texto enviado pelo Planalto, avisa, determina o congelamento das verbas indenizatórias relativas ao auxílio alimentação, ao auxíl. Tudo isso “no momento em que o custo de vida das pessoas dispara”.

Presidente pede prazo

Augusto pediu a atenção do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves. Perguntou-lhe se sabia que o auxílio-creche recebido pelo servidor do Executivo está congelado há 18 anos? Estão recebendo R$ 95 em Brasília, e menos no estados. “Esse seria o momento em que esses valores poderiam ser corrigidos”, diz Augusto. Afinal, completou, “não há sentido, por exemplo, manter o que é pago ao servidor do Executivo, quando é de R$ 600 o auxílio-creche para o funcionário da Câmara dos Deputados:  é muito justo que ele receba esse valor, mas precisamos melhorar a situação do servidor do Executivo”. Henrique Alves pediu a Augusto um prazo para tomar providências.

Comissionados no comando

O deputado brasiliense José Antônio Reguffe descobriu, enfiado na pauta da Comissão do Trabalho da Câmara, projeto de lei complementar que permite a nomeação, para cargos de direção, de pessoas de fora do quadro de concursados da Advocacia-Geral da União. Para Reguffe, isso não preza o interesse público e muito menos o interesse do contribuinte. Permitirá, diz, que a AGU esteja afeita a influências político-partidárias. Reguffe está comprando briga de cachorro grande. O projeto veio direto do Palácio do Planalto.
Fonte: Do Alto da Torre 

JOSENY - 13072013
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial