terça-feira, 2 de julho de 2013

Nova portaria da PM resgata benefício da categoria na doação voluntária de sangue

Nova portaria da PM resgata benefício da categoria na doação voluntária de sangue

Texto incentiva ação solidária e desfaz ato contrário que prejudicava os policiais

Doação de sangue voluntária é regulamentada por nova portaria
Policiais militares do DF têm dispensa total do serviço na doação voluntária de sangue, como forma de incentivo ao ato solidário. As novas regras integram a Portaria nº 854, aprovada pelo comandante-geral da corporação, coronel Jooziel de Melo Freire. Para o deputado Patrício, que tratou do assunto em reunião com o comandante no fim de junho, a decisão reconhece a ação de humanidade e faz justiça ao desfazer portaria contrária que prejudicava os policiais.
          “Aos poucos estamos resgatando a auto-estima dos policiais e trazendo melhorias para a categoria desde a posse do comandante Jooziel. É preciso reconhecer o trabalho do policial e o seu ato solidário de doar sangue voluntariamente. A portaria anterior considerava a doação como falta a ser justificada, prejudicando o policial e desmotivando o ato da doação”, ressaltou o deputado. Segundo o Comando da PM, a portaria da dispensa total de serviço acompanha o caráter solidário e humanitário do ato regulamentado e a natureza jurídica da dispensa prevista em legislação federal.
          A portaria anterior previa que o doador não deveria ser retirado da escala de serviço, sendo a falta considerada justificada somente com a apresentação do atestado médico na unidade de lotação no mesmo dia do serviço. Também havia a previsão de um sistema de compensação horária em que o policial doador, ausente no dia de sua escala ordinária, cumpriria o serviço em um horário diverso para totalizar as horas não trabalhadas em função da dispensa.
          Agora, o policial militar, previamente autorizado a doar sangue, terá até o 1º dia útil seguinte à doação para apresentar o atestado. Assim, a ausência do policial no serviço não será mais considerada uma falta a ser justificada, bastando que a dispensa seja registrada em livro de parte diária. Preserva-se a folga a que o policial teria direito, caso tivesse trabalho, caracterizando, de fato, a dispensa total do serviço.
Fonte:Com informações da Polícia Militar do DF/http://www.deputadopatricio.com.br/site/conteudonoticias.php?id_noticia=1247#.UdLqbdK1FMg - 02072013
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial