sexta-feira, 6 de setembro de 2013

O guardião dos segredos de Snowden: leia a entrevista com Glenn Greenwald

O guardião dos segredos de Snowden: leia a entrevista com Glenn Greenwald

Quase todos os dias, o jornalista norte-americano conversa com o ex-funcionário da Agência de Segurança Nacional (NSA, pela sigla em inglês)

06/09/2013

 (Carlos Moura/CB/D.A Press - 6/8/13)

Quase todos os dias, o norte-americano Glenn Greenwald — jornalista do diário britânico The Guardian — conversa pela internet com Edward Snowden, o ex-funcionário da Agência de Segurança Nacional (NSA, pela sigla em inglês) e ex-assistente técnico da Agência Central de Inteligência (CIA) que se transformou em inimigo número 1 dos Estados Unidos. Por meio de um software de criptografia, Snowden repassou ao repórter cerca de 20 mil documentos sobre a espionagem praticada pela NSA. Em entrevista ao Correio, por telefone, Greenwald afirmou estar “muito contente” com a repercussão das denúncias e revelou que mais dados sobre a vigilância da comunicação da presidente Dilma Rousseff serão divulgados no domingo. Greenwald, 46 anos, contou que a posição de destaque no cenário internacional seria o motivo pelo qual a Casa Branca decidiu espionar o Brasil. “Muitos documentos, ainda não publicados, são muito sérios e vão deixar muitos no mundo chocados, incluindo o Brasil”, avisou. O jornalista explicou o funcionamento da NSA e admitiu temer por sua segurança.


O senhor se considera um arquivo vivo? Teme ser morto por receber informações de Snowden?
Claro. Se você faz reportagens contra uma das nações mais poderosas do mundo, é claro que há riscos. Os riscos são óbvios. Também tem pessoas em meu país que me ameaçam, falam que sou um criminoso e que devo ser preso. Eu sabia que isso aconteceria. O jornalismo é importante e sempre tem riscos. Com certeza, vou continuar sempre.

O senhor tem tomado alguma precaução? Sua rotina mudou?
Estou tomando mais cuidado com a segurança, estou usando bastante criptografia quando utilizo a internet. Evito falar muitas coisas ao telefone. É claro que há muita pressão e ameaças, mas, com certeza, estou muito contente com tudo.

Que interesses os Estados Unidos teriam em espionar a presidente Dilma Rousseff?
Em primeiro lugar, o Brasil está crescendo muito em sua importância com tudo, com petróleo, energia, questões econômicas e industriais. Acho que os Estados Unidos querem essa vantagem, para saber tudo o que o governo brasileiro está fazendo com temas econômicos. O governo americano pode saber tudo o que todo mundo está comunicando, planejando e pensando. Isso aumenta muito o seu poder. Eles (os EUA) podem ter mais poder contra o Brasil, quando estiverem negociando acordos ou planejando tudo. Eles têm informações sobre a vida privada de políticos, o que lhes faz ter mais poder ainda. Esses são os motivos pelos quais os Estados Unidos utilizam a espionagem sempre. 

JOZENY LOPES 
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial