sexta-feira, 22 de maio de 2015

POLICIA CIVIL DO DF EM ESTADO DE GREVE

Com operação padrão, policiais civis devem deixar de atender ocorrências

A iniciativa visa chamar a atenção para a falta de pessoal, um dos maiores problemas da classe. Dessa forma, agentes vão deixar de atender ocorrência independentemente do grau de violência

Policiais civis do DF entraram em estado de mobilização na tarde desta quinta-feira (21/5). A categoria decidiu entrar em operação padrão, ou seja, não vai mais sair às ruas com menos de três policiais no carro. A iniciativa visa chamar a atenção para a falta de pessoal na corporação, um dos maiores problemas da classe. Dessa forma, agentes vão deixar de atender ocorrência independentemente do grau de violência.

Existem hoje 4,8 mil policiais em 90 unidades. Entre as reivindicações está a convocação de 475 aprovados no último concurso em 2013, além de melhores condições de trabalho e reconhecimento da carreira como nível superior.

Além disso, eles definiram em assembleia com 400 pessoas, que os cumprimentos de mandados de prisão só serão feitos com seis policiais. Na terça feira (26/5), por 24 horas, as centrais de flagrante só registrarão ocorrências flagrânciais. As demais delegacias registrarão apenas ocorrências criminais. Registros de extravio e acidente de trânsito sem vítima não serão feitos na terça-feira.

O Sindicato dos Policiais Civis do DF (Sinpol) explicou que a operação padrão dura por tempo indeterminado. Eles marcaram uma nova assembleia para 1º de junho, quando podem decidir pela radicalização do movimento com paralisação, greve e até fechamento de delegacias.
Fonte: Correio Brasiliense


COMENTO: Pelo que vemos é o colapso no DF, imaginem se com a policia trabalhando é um grande problema e sem ela nas ruas? De toda forma a PCDF, está correta pois sem condição de trabalho e em especial falta de pessoal é impossível prestar um serviço de qualidade a população do Distrito Federal. 
SGT JOSENY RR
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial