quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Governo tem R$ 13 milhões para construção de UPAs, mas não utilizou recurso Secretário de Saúde diz que o DF não precisa de mais unidades

Brasília-DF: Governo tem R$ 13 milhões para construção de UPAs, mas não utilizou recurso
Secretário de Saúde diz que o DF não precisa de mais unidades

PORTAL R7 DF - 09/09/2015 - 08:49:27

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal tem R$ 13 milhões em caixa, destinados à construção de UPAs (Unidades de Pronto Atendimento). Os recursos do Fundo Constitucional e do SUS (Sistema Único de Saúde), no entanto, não foram utilizados. Entre 2009 e 2014 foram utilizados mais de R$ 50 milhões para a construção das Unidades de Ponto Atendimento.

O secretário de Saúde, Fábio Gondim, afirma que o governo não tem ... dinheiro para complementar os recursos federais. 

— Não há recurso para construir UPA no orçamento O orçamento elaborado pelo governo anterior, que nós estamos executando agora, não prevê essa contrapartida. 

O presidente do Sindicato dos Médicos, Guttemberg Fialho, defende o uso do dinheiro para custos emergenciais, como pagamento de fornecedores.

— A prioridade neste momento é pagar os fornecedores, comprar medicamentos e contratar pessoal, portanto, se o dinheiro existir, a prioridade não é construção de UPAs, até porque não se constrói sistema de saúde construindo UPAs. É investindo em atenção primária, prevenção e profilaxia.
Fonte:http://www.edsonsombra.com.br/post/brasiliadf-governo-tem-r-13-milhoes-para-construcao-de-upasa-mas-nao-utilizou-recurso20150909

SGT JOSENY RR

Lembrando!!

Dispõe sobre a manifestação, por militar inativo, de pensamento e opinião políticos ou filosóficos.
        O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei:
        Art 1º Respeitados os limites estabelecidos na lei civil, é facultado ao militar inativo, independentemente das disposições constantes dos Regulamentos Disciplinares das Forças Armadas, opinar livremente sobre assunto político, e externar pensamento e conceito ideológico, filosófico ou relativo à matéria pertinente ao interesse público.
        Parágrafo único. A faculdade assegurada neste artigo não se aplica aos assuntos de natureza militar de caráter sigiloso e independe de filiação político-partidária.
        Art 2º O disposto nesta lei aplica-se ao militar agregado a que se refere a alínea b do § 1º do art. 150 da Constituição Federal.
        Art 3º Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.
        Art 4º Revogam-se as disposições em contrário.
        Brasília, 17 de julho de 1986; 165º da Independência e 98º da República.


JOSÉ SARNEY
Henrique Saboia
Leônidas Pires Gonçalves
Octávio Júlio Moreira Lima


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial